Um, Nenhum e Cem Mil

Inauguração Terça-feira, dia 15 de Janeiro entre as 6h30 – 8h30

Exposição na EdgeArts | Arte Contemporânea, Espaço Amoreiras na Rua D. João V nº 24, piso -1

 

15 Jan. - 15 Fev.

2ª a 6ª 14h - 20h

SÁBADO 12H-16H

edge-arts.com​

 

 

Este projecto explora a tensão entre mudança e constância, identidade e efemeridade. A biologia é utilizada como ponto de partida para o estudo das fronteiras e da fragmentação do corpo humano. A exposição inclui quadros a óleo, peças em madeira, instalação e trabalhos multimedia



Artistas convidados Beatriz Albuquerque, Deconstructive Theater Project, Glenn Wonnsettler e João Chaves.

Sou feita de muitas coisas. Muitas partes e muitos tipos de partes. Algumas são muito antigas, outras novinhas em folha. Todas as partes de mim vivem em conjunto, trabalham em paralelo, redundância, ignorância ou competição.



Interessa-me a ideia de que cada um de nós é muitos – e que, de momento para momento, mudamos, multiplicamo-nos, convergimos, cooperamos, competimos ou ignoramo-nos a nós próprios.  E esta multiplicidade ou descontinuidade ocorre diariamente, mesmo em momentos triviais. A minha casa, o meu estúdio e o meu telefone estão cobertos de notas e lembretes, um esforço sem fim para tentar ligar cada momento ao que vem a seguir, e ao que vem a seguir a esse.



Este trabalho é inspirado em descobertas recentes sobre como o cérebro funciona que ecoam as mesmas ideias de continuidade/discontinuidade. A pintura e o método de transferência (onde a imagem fotográfica é passada para outro substrato, no meu caso, painéis de madeira e papel) formam um paralelo muito interessante com o processo de formar memórias. É um processo lossy: fazemos uma selecção do que queremos recordar ao mesmo tempo que há um nível de noise que garante que alguma informação é perdida e retida aleatoriamente. No passo de desenho ou pintura, o original é modificado e destruído, o paralelo é com o processo de lembrar (ou memory reconsolidation), quando reintrepretamos as nossas memórias ou eus passados criando histórias, enchendo-os de sentido e alterando-os de acordo com a circunstância.

 



 



 

 


O nome da exposição foi inspirado no livro do mesmo título do Luigi Pirandello.

Este trabalho viajou de Nova Iorque onde foi exposto na Wix Lounge. Veja mais imagens do trabalhos ou a cobertura de imprensa.

Artistas Convidados

Beatriz Albuquerque



João Chaves



Deconstructive Theater Project



Glenn Wonnsettler



 

The Orpheus Variations
The Orpheus Variations

The Orpheus Variations is an intermedia performance that tells the story of Orpheus, a grief-stricken musician, who goes on a journey through the sights and sounds of his memories in search of his vanished wife. The project collides live storytelling, live radio play, and live film vocabularies in an excavation of memory and a deconstruction of creative process. Created collaboratively by The Deconstructive Theatre Project, conceived and directed by Adam J. Thompson.

Upside Duck
Upside Duck

Glenn Wonsettler video 0:46 2012

In-perfect Memory
In-perfect Memory

João Chaves Filme Super8 Ektachrome transcrito para video, ecrã de retro-projeção e barro. Dimensões variáveis. 2010

The Orpheus Variations
The Orpheus Variations

The Orpheus Variations is an intermedia performance that tells the story of Orpheus, a grief-stricken musician, who goes on a journey through the sights and sounds of his memories in search of his vanished wife. The project collides live storytelling, live radio play, and live film vocabularies in an excavation of memory and a deconstruction of creative process. Created collaboratively by The Deconstructive Theatre Project, conceived and directed by Adam J. Thompson.

1/4

Contacto

Joana Ricou

961 154 509

jiricou@gmail.com

Visitas privadas podem ser marcadas para Sab-Quarta,

dias 12-16 de Janeiro. 

Ou envie um e-mail:

Your details were sent successfully!

  • Wix Twitter page
  • c-blogger

Joana Ricou, copyright 2013